Pessoas Que Mudam Nossas Vidas

25 04 2009

Mestre Yoda

Admiro minha mãe desde criança. Ela me criou sozinha, sempre me orientando em tempos difíceis da minha vida. Ela tem um grande poder sobre mim. E a velha sabe disso. Sabe tanto que às vezes flerta com o lado negro da força, me manipulando. Mas nesse caso já estou bem treinado e a deixo achar que está no controle. Com certeza você tem alguém assim na sua família ou círculo de amigos. Deixando o lado negro de lado, eu lembro das pessoas que me influenciaram e me orientaram a ser quem eu sou hoje. Estou falando de formação acadêmica, que está intimamente ligada a formação pessoal.

Quem me segue no Twitter sabe que estou odiando o curso de Web Design que minha mãe pagou pra mim anos atrás e só agora estou fazendo. Na verdade a parte do Design é ótima. Amo qualquer coisa relacionada a arte, como vocês podem ver no post abaixo, no meu Flickr e em várias coisas à minha volta, simplesmente AMO. Mas a parte que compreende Web… Cara detesto. Odeio código, odeio lógica, odeio matemática, odeio, odeio! (Na verdade é que não sei, não entendo. Esforço para aprender, cadê?)

Desde que tirei minhas férias não pisei no curso. Simplesmente larguei mão. De novo. Hoje acordei decidido a resolver essa situação. Por um ponto final nisso. Não gosto de pontas soltas na minha vida, e infelizmente esse ano tenho algumas que jurei amarrar. So listen what I did.

Enquanto estava indo para o tal curso, meu celular tocou duas vezes. Era o professor. Não atendi. Eu já estava indo para lá decidido a fechar o curso e pegar meu dinheiro de volta (se possível). Cheguei e ele abriu um sorriso enorme, me perguntando como eu estava, se estava tudo bem e que ele sentiu a minha falta. Ok, ele não é gay, antes que vocês perguntem.

Ele é desses professores que se interessam por alunos que se interessam em aprender. Quando o escolhi como professor eu pensei, já que não gosto dessa coisa toda de códigos, pelo menos pego um professor bom, que me ensine a gostar. E realmente por algum tempo deu certo. Me empenhei em ser um dos melhores, coisa de nerd. Mas quando chegou nos códigos TRU… a culpa é minha.

Disse a ele que estava de férias e ele logo me perguntou se tinha viajado, se era por isso que andei faltando. Repondi que sim, que fui conhecer Buenos Aires, e novamente ele me cortou dizendo que sempre quis conhecer a terra de nossos hermanos. Enquanto conversávamos ele foi me levando para a sala da coordenação. Só me dei conta quando cheguei! lá! Ele virou para a coordenadora, que já me conhecia, e disse as seguintes palavras:

“Esse é o Rafael, um aluno inteligente e esforçado. Ele está na minha turma de Web Design, que  já está fazendo prova. Ele andou faltando e perdeu muita coisa. Ele pode continuar na minha turma? Eu me encarrego de repor as aulas dele.”

Imaginem a minha cara de “oi?”. Minha reação foi apenas agradecer. Que mais eu podia fazer? Ele é conhecido como o carrasco, que não se apega a aluno, e olha o que esse cara me faz! O que posso fazer a não ser cumprir, e quem sabe, superar as expectativas dele?

Já encontrei esse tipo de pessoa em minha vida. Verdadeiros Mestres Jedis que ajustam as coisas nos mostrando o melhor caminho a seguir. Tive o privilégio de ouvir alguns desses mestres na faculdade e a vida me coloca mais um no caminho. O que esse Padawan aqui pode fazer a não ser escutar e aprender?

Todo esse cuidado que o universo está tendo comigo espero retribuir com meus alunos no próximo ano =)

May the force be with you \\//_





O Fim Das Férias

16 04 2009

Minhas férias só terminam oficialmente na semana que vêm, no dia 22/04. Mas como estou sem grana nenhuma, passarei essa última semana em casa. Tipo, férias indoor, como diria a amiga Eubalena. Eu, Trakinas de chocolate Mais Mais (Oi! Faço um post pago pra vocês facinho, beijos!) e bolacha de maizena. Sim, sei que é sinônimo de pobreza, mas taí, é verdade, AMO! Passa margarina na bolacha, molha no café com leite, e a felicidade acontece!

Nessa útima semana me dedicarei a projetos pessoais (o louco), como desenhar, terminar de ler The Catcher In The Rye – J. D. Salinger (que dessa vez está sendo tortuoso), e Octaedro, uma reunião de contos de  Julio Cortázar, autor maravilhoso. Só o realismo-fantástico pode traduzir nossa realidade #fato.

Outra coisa que me ocorreu agora, chega a ser patético o modo como cuido das minhas finanças. Tô sem um puto no bolso e a culpa é de quem? Blame Argentina? Não posso. A culpa é toda minha. Sai gastando feito um deslumbrado aqui mesmo em São Paulo. Moro nessa cidade há 24 anos e ainda me deslumbro =O

Se você ficou com dó, eu aceito freelas facinho. Formado em Letras, faço resenhas de livros, filmes, jogos, HQ’s, mangás. Pagando bem, meus amor, tamos aí! Estou até fazendo um curso de Web Design, mas esse nem conta. Não apareço faz, o quê? Três semanas?,Preciso me interessar mais, estudar e fazer um portfolio. Enfim pessoas, essas eram as lamúrias de hoje.

Ah! Também tem o fato de que o carro da minha mãe quebrou, sendo que paramos de pagar o seguro no mês passado. Who should I blame? Me again =D





Don’t Cry For Me Argentina

7 04 2009

Estou em casa! (Dorothy modo on) Não há lugar como nosso lar! Não há lugar como nosso lar! (Dorothy modo off)

Adeus batatas! Olá feijão! A viagem foi muito boa, fiz muitos contatos, Visitei muitos lugares que queria, vi o pensador de Rodin que nunca pensei estar lá, e tirei 662 fotos!

Com o tempo vou upando no Flickr e usando algumas aqui. Depois eu volto e conto direito as minhas impressões sobre Buenos Aires.

Ah! Outra coisa!

Agora sou colaborador do Twitcast, um site só com o que acontece de mais interessante no Twitter. O site é colaborativo, então se você acha que entende do assunto e quer fazer parte, visite ou siga o @twitcastBR.





Buenos Aires, Cheguei!

3 04 2009

Primeira coisa, nao sei mexer nesse teclado em catellano, entao depois coloco os devidos acentos… ou nao.

Galere cheguei e já levei um susto. O tio do taxi me pediu propina! Um absurdo!! Polícia, cadê?? Piadas a parte, propina é a gorjeta. Nao dei porque o palhaço se perdeu. Ai que ódio!

Outra coisa. Esqueci de ligar para a Claro e ativar o Roaming internacional. Estou sem celular, sem poder twittar da rua. Que raiva de mim! Será que dá pra fazer isso pela internet?

Já fui na Casa Rosada, vi protesto de umas mulheres que pediam sei-lá-eu-o-quê. Mas nem me importei, afinal pra esse povo, qualquer motivo é motivo pra protestar (insira sua crítica ao passivismo brasileiro aqui) Heheheh! Já andei de Subte, o metrô daqui. Imagina a CPTM no metrô sem os vendedores. É isso.

Tirei um monte de fotos! Quando chegar upo tudo no Flickr, afinal sou pobre e nao tenho notebook e/ou netbook. Aceito doaçoes.

Por favor, se tiver alguma sugestao de balada, lugar legal por aqui, me mandem pelo Twitter. Pelo menos pra isso o PSP serve. O Hostel em que estou tem Wi-Fi liberado =)

Outra coisa. Esses brasileiros nao tem o que ver no Brasil nao? Já encontrei um monte nesse lugar! Deus que me livre! Sumam daqui! kkkkkkk

Enfim, tem um cara a igual ao Keanu Reeves do meu lado, será ele?





Planejando As Férias

18 03 2009

(Ou Como Tudo Na Minha Vida É Decidido De Uma Hora Para Outra).

Antes de mais nada, quero avisar que este é um post pessoal. Vou chorar as pitangas aqui e ficar feliz no final. E eu já comecei dando spoiler XD

Minha mãe conta que quando estava no hospital para eu nascer, estava tudo pronto para eu conhecer o lado de cá por meios normais. Estava encaixado na área de saída e tudo. De repente mudei e quis sair por meios não naturais. E eu acredito que isso queira dizer alguma coisa. Naquele momento eu assinava meu contrato com o Caos.

Nunca planejei a vida. Nunca parei e fiz contas, ou escrevi longos textos planejando meu futuro. Quando pensei em fazer faculdade, também de uma hora para outra, cheguei em casa com a inscrição paga e com o curso escolhido, isso em menos de uma semana. Pelo menos eu sempre quis fazer Letras. Mas nunca pensei em lecionar. Não tenho paciência, quer dizer, acho que não tenho paciência com adolescentes. Já passei por essa fase e sei como são difíceis de lidar. Principalmente no mundo em que vivemos hoje, com pais cada vez mais se abstendo de ensinar valores morais e cláusulas do contrato de convívio social.

Mas passei em um concurso para ser professor! Eu nem esperava, fiz de pura má vontade (mentira, depois que vi o salário estudei na madrugada que antecedeu o dia da prova e no caminho para a tal) e vejam vocês. Tudo bem que ainda não chegou meu número de chamada, mas não vai demorar muito, meu número tá logo ali.

E chego ao meu terceiro período de descanso no serviço, na vulgata, minhas férias. Nas outras duas nunca pensei em fazer grandes coisas. Na verdade a maior parte do tempo fiquei em casa. Dessa vez resolvi planejar, e só me estressei.

Não sei o por que, mas as coisas começaram a dar errado de forma homérica. Fiquei estressado com problemas financeiros, familiares, pessoais. Tudo resolveu acontecer ao mesmo tempo. Até que desisti de tudo. Desisti de planejar e resolvi fazer o que dava. O que aparecia, resolvia. Se era muito grande, se o bicho ficava muito feio, deixava de lado e quando ganhasse nível suficiente enfrentava-o. Simples assim. Foi quando lembrei que sempre fiz isso. Deixei nas mãos do Caos.

E tudo entrou nos eixos. Resolvi (a maioria dos) meus problemas. Do nada apareceu uma parceria no serviço junto a uma agência de viagens, consegui um preço bacanudo para ir a Argentina, de 02/04 a 07/04, um preço mais bacanudo ainda em um Hostel em Boedo, indicação do @diegomaia, e tudo resolvido de uma forma natural que está até me assustando. E sim, é minha primeira viagem internacional. Não sei nada. Não sei por onde começar, e não quero saber agora. Quando chegar a hora eu faço.

Podem me chamar de maluco, de egoísta, do que você quiser. Sei que sou feliz assim. Não me decepciono com planejamentos que não deram certo. Não fico estressado, sofrendo por antecipação. A vida foi feita pra isso, não foi? Pra ser vivida do jeito que ela é =)

Nem me perguntem o que o Caos fez com a minha vida amorosa, nesse quesito ele pinta e borda, e não é para  minha felicidade =(

E para fechar esse post que está chato, confesso. Minha vida não é tão cool assim.





Operação Saramago

28 11 2008

No dia 23, à tarde fiquei sabendo que José Saramago faria o lançamento mundial de seu novo livro, A Viagem Do Elefante, aqui no Brasil no SESC Pinheiros. Fiquei sabendo também que os ingressos para participar do evento haviam acabado. Mas, como minha experiência em eventos esgotados já é larga, decidi sair do serviço e ir até o local do evento esperar para que algum desses Seres morresse pelos lugares remanescentes.

O legal desses eventos é a amizade efêmera que você faz (e eu sou mestre nisso, já leram este meu post?). Conheci três pessoas interessantes. O Leandro, um jovem escritor que acabou de conseguir que seu livro fosse lançado (quero saber quando terei o meu exemplar!); Juliana, uma jovem pedagoga de Campinas em São Paulo para ver a família e Saramago; Vera, uma mestranda em Psicopedagogia. Conversamos sobre as obras de Saramago, a adaptação de Ensaio Sobre A Cegueira por Meirelles, Gabriel Garcia Márquez e até sobre epifanias!

Deu a hora. Lá veio a moça entregando ingressos. Peguei o meu e fiquei super feliz, afinal, eu iria vê-lo em carne e osso, e não através de um telão =P

Pilar Del Rio, a esposa de Saramago, de forma muito alegre, falou sobre a obra e leu uma dedicatória para seu esposo. O amor deles é tão lindo, tão puro! Acho que é o último do mundo dessa forma. Ela é 28 anos mais nova que ele, e percebemos que este é um amor tão jovem e belo, que comove. Este livro é dedicado a ela com as seguintes palavras:

“A Pilar, que não deixou que eu morresse”

Tô quase acreditando no amor de novo!

Saramago discorreu sobre a vida. A primeira pergunta que respondeu foi como ele se via. Disse que era a melhor das imagens. Lisonjeiro e renunciador do tempo. Quanto à velhice, disse que esta é normal. Se esta não acontecesse agora, é porque havia acontecido antes.

Disse que uma vez disseram a ele que ele já havia ganho o prêmio Nobel, já tinha fama, e perguntaram o que queria mais. A resposta foi a mais lúcida possível: “Tempo e Vida. Tempo para ficar com Pilar e viver” , disse José Saramago.

Ele disse que é uma pessoa melancólica e reservada (me diga um grande escritor diferente XD), porém em palestras é capaz de falar por três a quatro horas sem parar.

Quanto à sua doença, disse que foi realmente grave e que os médicos lhe disseram que foi um milagre sua recuperação. Ateu que é, Saramago atribuiu sua recuperação ao bom trabalho dos médicos. Disse que a doença não transparece no livro. Que este foi escrito com uma sanidade interior nunca antes experimentada. O livro foi escrito em estado de pura felicidade.

Quanto à sua carreira, disse que nunca a planejou. Não é ambicioso, como alguns escritores que escrevem por fama (nessa hora senti uma alfinetada em Paulo Coelho devido a essa frase. Suas primeiras obras não eram rentáveis. Só tinha uma preocupação: “Não escrever nada que não fosse pensado”. Esse foi o motivo de haver um intervalo de 30 anos entre sua primeira obra, Terra Do Pecado – 1947, e a segunda, Manual De Pintura E Caligrafia – 1977. Ainda completou afirmando que não havia escrito nada nesse meio tempo, porque não havia nada para escrever que valesse a pena. Certíssimo.

Ainda sobre o livro A Viagem Do Elefante, Saramago comenta que sua linguagem é atual e anterior, ao mesmo tempo. Disse que se trata de uma linguagem próxima ao século XVI, ou anterior. Não sabe dizer com precisão a época. Nesta nova obra propôs que a linguagem e o enredo (dando ênfase a linguagem) fossem os condutores responsáveis pela trajetória do leitor ao final do livro.

“É um bom livro. Um livro bem escrito”

Saramago ainda renegou o rótulo de romance, ou prosa-poética para seu livro. Disse que o chamará de conto.

“Escrever é uma caixinha de surpresas (…) O livro vai fazendo-se e é o fazer do livro que faz o livro”

Saramago não está trabalhando em outro livro. Comparou-se com a terra que acaba de dar seus frutos e ser semeada. É momento de descansar. Não sabe se este é seu último livro. Quando escreveu As Intermitências Da Morte achou que seria o derradeiro. Mas sua imaginação, a fábrica de sonhos, tinha mais a dizer.

“Escrever é uma responsabilidade enorme (…) Quase uma relação autista entre o escritor e ele mesmo”

Daí veio uma declaração linda de amor. Voltando ao assunto da produção do livro em meio a grave doença que o acometeu, Saramago diz:

“Se tivesse morrido antes de conhecer Pilar, teria morrido muito mais velho do que sou hoje”.

E então a palestra acabou.

Fui direto para a fila tentar um autógrafo. Só que, devido a sua saúde debilitada, ele só iria autografar 150 livros. Meu número na fila? 300 e alguma coisa. Ainda tentei insistir. Conversei com a garota que estava organizando a fila do autógrafo e cometi o maior FAIL de minha vida!

Pedi a ela que me me deixasse entrar e tirar uma foto do Saramago autografando. Ela estava quase deixando quando eu soltei, Me deixa ficar ali onde está aquele “povinho”, ela, Povinho?! Aquele “povinho” são SOMENTE os organizadores do evento”. Nunca mais faço isso.

Mesmo assim uma alma iluminada pegou a máquina de umas cinco pessoas (incluindo a minha) e tirou fotos dele de pertinho. Não ficaram boas, mas é o que tem pra hoje XD Vocês podem ver no meu Flickr.

Desculpem pelo post enorme =)





A Última Burrice.

17 11 2008

Perdi a prova do curso de Comunicação Visual porque sou muito burro. Simplesmente esqueci do horário! Me envolvi com outros projetos… e esqueci.

Postei aqui só para deixar registrado para mim mesmo.

Olhar os erros do passado; Aprender; Crescer.

E o que eu mais desejo, e preciso, é Crescer.