Saramago e o Título Infeliz

22 06 2009

saramagoNeste Domingo, 21, foi publicada a entrevista que José Saramago forneceu ao site Clarin.com a respeito de seu blog e sobre alguns dos textos deste se tornarem um livro a ser publicado em 25 deste mês em Lisboa em um encontro com blogueiros e aberto a internautas de todo o mundo (ainda sem maiores detalhes).

O problema é que o título da matéria está sensacionalista: “Con los blogs se está escreviendo más, preo peor” e no Brasil o título do G1 não ficou atrás: “Blogs fazem pessoas escrevem pior, diz José Saramago“. Assim que li o título fiquei chateado e twittei a respeito da suposta rixa que Saramago tinha contra nós, blogueiros. Erro. Deveria ter lido a matéria primeiro para depois comentar. Foi o que fiz em seguida e constatei que a história é “um pouco muito diferente” (como diria a minha avó). Vejam:

¿Hay una forma distinta de escribir para el blog (más rápido, sin tanta corrección…)?

No falta quien piense mucho para responder: “La practica del blog ha llevado a la escritura a muchas personas que antes poco o nada escribían”. Lástima que muchas de ellas piensen que no merece la pena preocuparse con la calidad de estilo de lo que se escribe. El resultado está siendo que, a la vez que se escribe más, se está escribiendo peor. Personalmente cuido tanto del texto de un blog como de una página de novela.

Saramago concorda que a blogagem deu oportunidade a pessoas que antes estavam fadadas ao silêncio ter algum tipo de voz ativa através de um blog próprio. Porém ele lamenta que muitas dessas acham que não vale a pena se preocupar com a qualidade ou estilo daquilo que se escreve, e o resultado é que quanto mais tal pessoa escreve, está escrevendo pior. Ele ainda acrescenta que pessoalmente cuida do texto que postará no blog da mesma forma como cuida de uma página de seus livros.

Para quem se interessar, o blog do escritor José Saramago é O Caderno de Saramago, que está disponível em português e espanhol e é uma ótima opção de leitura.

Saramago já não nutre um grande afeto por jornalistas e ainda dão ênfase a uma frase que sem contexto é interpretada de maneira totalmente contrária a qual ela se destina. Espero que esse caso não siga adiante. Fiquemos atentos para novidades no dia 25 a respeito do lançamento desse livro. Caso exista algum stream do evento postarei aqui o link.

Rafagoom é admirador de Saramago, apartidário e às vezes presta atenção naquilo que escreve.





Sobre Os Jornalistas

22 06 2009

O Supremo Tribunal Federal (STF) retirou a obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista no Brasil e o mundo veio abaixo para algumas pessoas. Não sou formado em jornalismo, nem tenho pretensões de o ser, e não tô nem aí para essas pessoas que se doeram tanto. Me cheira a falta de confiança no próprio trabalho.

Todo mundo sabe que o jornalismo no Brasil vai de mal a pior com esse tipo de reportagens e manchetes. Mas se elas existem significa que alguém lê e se importa. Quem realmente deseja receber informação correta e completa, infelizmente hoje deve recorrer a fontes internacionais ou portais de confiança, com jornalistas responsáveis que portando um diploma ou não fazem o possível para cumprir seu dever.

Este post do Tuca Hernandes está bem melhor que o meu (que foi só um desabafo), e dêem uma atenção a esse artigo no O Globo.

–UPDATE!–

E os estudantes do curso de Jornalismo não estão de braços cruzados. Hoje, 22/06, 200 estudantes se reuniram em São Paulo para protestar contra a decisão do STF comendo… jornal…

Enfim, mas não voltei aqui para falar do protesto (que acho ótimo, lutem por seus direitos!), mas para colocar na roda uma idéia que surgiu no Twitter de não me lembro quem (se você está lendo isso, o que eu acho muito difícil, manifeste-se!), sobre se ter uma prova que certifique o formado como Jornalista, tal qual o exame da OAB. Eu acho válido. E você?