Sobre Apenas o Fim

5 06 2009

Apenas o Fim

Eles não são um casal convencional. Ela gosta da Nintendo e entende de Mario e Luigi. Ele, da Sony e ama Final Fantasy e Kingdom Hearts. Eles estudam cinema e hoje ele tem prova. O trabalho em dupla deverá ser deixado de lado pois ela tem outros planos. Ela vai deixá-lo.

Apenas o Fim corre o risco de ser taxado pela crítica como filme de um diretor nerd que colocou todas as referências de seus brinquedinhos em seu primeiro longa. Com certeza estão errados. A história do filme é muito mais do que um casal em final de relacionamento envolto em referências da cultura pop. Matheus Souza, 20 anos, diretor de Apenas o Fim, é um baixinho barbudo que sonha grande. Mais do que isso, realiza. Não importa os problemas que surjam.

Filmado utilizando-se da câmera digital da faculdade, que não podia sair daquele perímetro, fez com que o roteiro do filme fosse adaptado para que se passasse todo na PUC-RJ. E isso de maneira alguma empobrece o filme, muito pelo contrário. Fez com que todas as cenas fossem pensadas com muito mais carinho dando-lhes um significado maior, como confessou Matheus na pré-estréia que aconteceu hoje no Espaço Unibanco, em São Paulo. Fez com que cada cenário escolhido participasse como um ator, ou complementasse um diálogo. O que mais me marcou é quando Ela (que não tem nome) em uma parte da faculdade que está em reforma diz que vai mudar o mundo, e ele sentado embaixo de uma árvore pede para que ela não se esqueça das crianças na África. Ela está em construção. Ele já tem raízes profundas.

Gregorio Duvivier e Erika Mader estão excelentes. A naturalidade dos diálogos só pôde ser atingida pela liberdade dada por Matheus nas gravações, permitindo cacos e adaptação de falas, dando-nos diálogos críveis e uma outra visão do cinema nacional, sem cair em piadas prontas de programas de televisão ou da última banda da última semana que está fazendo sucesso naquele canal de TV. É um cinema dirigido não apenas ao público nerd ou ao público jovem (na pré-estréia estavam pelo menos umas 5 pessoas com mais de 50 anos que se divertiram com o filme e participaram do debate pós-filme). Seu convite a refletir sobre o amor o desejo e o que é um relacionamento são o que realmente importam e gritam mais alto.

O longa foi produzido em um mês com o dinheiro de uma rifa de whisky e pouquíssimos patrocínios. Os problemas orçamentários foram superados quando o filme foi apresentado a Mariza Meu Nome Não é Johnny Leão, que gostou da idéia do filme e investiu naquele aprendiz de diretor de cinema, o que rendeu o prêmio de Melhor Filme do Júri Popular, Menção Honrosa do Júri Oficial no Festival do Rio 2008 e o Prêmio de Melhor Filme do Júri Popular na 32ª Mostra de São Paulo. O filme também foi selecionado para ser exibido em festivais internacionais como Off Câmera, em Krakow, Polônia, Festival Internacional de Rotterdam – na Competição Ibero-Americana do Festival Internacional de Miami, Festival de Cinema Brasileiro em Paris, França e na Premiere Brazil, no MoMA, em Nova York.

Lógico o filme não é perfeito. Há diferenças de qualidade de cenas (Matheus explica: “Nós não sabíamos mexer na câmera!“) e um leve egocentrismo, mas nada que diminua a qualidade de seu trabalho. Estou ansioso para ver um novo filme de Matheus. E ele já disse ter duas opções. Seguir como o segundo álbum dos Strokes, ou The Killers. Eu prefiro que siga o caminho The Killers de ser e experimente novas linguagens e experimentações. Se permita continuar errando, pois no final é isso o que importa, nos ensina e faz crescer.

O filme Apenas o Fim tem data de estréia em 12/06 e será exibido em salas digitais, pois foi gravado em HD.

P.S.: Enquanto estava na fila, um Senhor que estava na minha frente me perguntou se eu sabia que a atriz era sobrinha da Mallu Mader. Eu respondi que não. Ele continuou, Esse filme é muito bom, vi que tem uma cena de sexo foda! Pois é meu querido, você ganhou muito mais do que isso. O filme talvez tenha feito você refletir no que é amor e o que é desejo e  que realmente importa no meio disso tudo. Ou não, porque depois desse seu comentário acho difícil você ser capaz de usar seu cérebro. Sim, fiquei irado. Eu tenho o dom de atrair bizarros.





Eu Não Esqueci

31 05 2009

Dia da Toalha!Não me esqueci que dia 25/05 foi o Dia da Toalha. Só não publiquei nada aqui no blog porque não me acho um Nerd completo. Tudo bem que esse blog tem um monte de nerdice, mas o dia da Toalha é comemorado mundialmente não por nerds wannabe, mas pela grande obra de Douglas Adams, escritor de O Guia do Mochileiro das Galáxias, o qual estou na página 52 e estou curtindo MUITO!

Não torça o nariz com o pensamento “Ai, coisa de nerd, ECA!”. O livro não é cheio de fórmulas matemáticas, questões de física quântica, ou átomos colidindo (se fosse assim eu nem chegava perto!) O livro te pega pela simplicidade com que essas questões são apresentadas. Se você entende sobre elas, ótimo, o livro te levará para uma dimensão maior. Se não, legal também, a mensagem do livro é bem maior do que isso. Você se divertirá da mesma maneira e ainda será incentivado a saber mais. É como se Douglas Adams pegasse a sua mão e falasse “Olha, o meu livro é bem legal, mas preste atenção nesse universo que se abrirá caso você procure saber mais sobre essas outras coisas!”.

Eu mesmo não entendo nada de matemática/física/química, mas o livro me pegou pelas referências à cultura pop e crítica a sociedade. Fora os personagens carismáticos e redondos que já fizeram um laço de amizade comigo! Isso porque ainda nem terminei o livro =D

O dia 25/05 ainda foi marcado por uma polêmica, o Dia do Orgulho Nerd. Eu não entendi muito bem a proposta. Tipos, tem nego que se orgulha de ter sido rotulado de Nerd (termo aqui usado não como um estilo de vida e sede de conhecimento, mas sim como um termo pejorativo, de pessoa que não tem vida social ou não consegue se inserir na sociedade), não ter namorado a gata do colégio ou ter sofrido bullying dos valentões burros? Poxa. Tá, posso estar sendo extremista, mas nossa sociedade vê assim. É possíve mudar a mentalidade das pessoas? Sim. Então por que sou contra? Por ser no mesmo em que a obra de Douglas Adams é comemorada. Se fosse em outra data, com outra tática, quem sabe eu não apoiaria?

Vamos continuar divulgando o Dia da Toalha. Para saber mais um pouco, veja este texto roubado copiado do pessoal do Jovem Nerd a respeito da utilidade da Toalha:

“O Guia do Mochileiro das Galáxias faz algumas afirmações a respeito das toalhas.

Segundo ele, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valo prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon; pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas do rio Moth; pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; e naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa.

Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc., etc. Além disso, o estrito terá prazer em emprestar ao mochileiro qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha “acidentalmente perdido”. O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.

Daí a expressão que entrou na gíria dos mochileiros, exemplificada na seguinte frase: “Vem cá, você sancha esse cara dupal, o Ford Prefect? Taí um mingo que sabe onde guarda a toalha.” (sancha: conhecer, estar ciente de, encontrar, ter relações sexuais com; dupal: cara muito incrível; mingo: cara realmente muito incrível.)”

Conheça mais a respeito de Douglas Adams e sua obra! NãoEntreEmPanico.com





Tecnosexuais E A Necessidade De Classificar

17 03 2009

No início, Deus criou o homem, Adão, e deu a ele a missão de classificar e denominar os animais. Pelo visto esse trabalho continua até hoje hehehe!

Presta atenção na classificação que fazem de nós, seres internéticos:

Nerd: Termo dado aos aficionado pela internet. Normalmente não tem vida social.

Geek: Também amantes da internet e gadgets, porém se dão melhor na convivência social.

E há uma nova categoria, minha gente brasileira! Eu lhes apresento (na verdade não fui eu, foi o dicionário Urban Dictionary que classificou e o G1 tornou público, ok?):

O Tecnosexual!

Sabem aquela galerinha ixxperta, wealthy, e que “sijoga” na acadêmia Fórmula?  Enquanto trabalha seu corpo, fica pensando no post que subirá no blog e twittando pelo iPhone enquanto faz esteira? Depois, ‘cola’ no Suplicy Café e novamente, twitta pelo .app Brightkite onde está. Ama seus gadgets, como qualquer Geek, utilizando-os para contar as calorias daquele prato japonês, escolher restaurantes ou até mesmo se achar pelo Google Maps. A noite, combina com seus “amigues” algum #nob (Nerds On Balada) bem moderninho e de preferência tenha sido indicado pela Veja São Paulo, e twitta minuto a minuto de sua super balada!

E você? Em qual dessas categorias se encaixa?

¬¬…





The Twitter Song.

23 09 2008

Que o Twitter já é febre entre Geeks e Nerds do mundo inteiro já não é surpresa (me add! @kaorushin). Ben Walker, um “músico” com canal no YouTube, fez uma canção para essa nova mania: The Twitter Song. A letra está logo abaixo do vídeo. Achei boniteenha!

~The Twitter Song

You’re no one if you’re not on Twitter
And if you aren’t there already you’ve missed it
If you haven’t been bookmarked, retweeted and blogged
You might as well not have existed

In the old days it was all about achievements
Collecting all your trophies in a shrine
Then everybody came across the internet
And suddenly you had to be online

A home page was all you really needed
To seem like a success but not a geek
As long as you updated semi-annually
And checked your email once or twice a week

You’re no one if you’re not on Twitter…

Technology was moving rather quickly
And the next thing you needed was a blog
With intimate and detailed press releases
And now and then a photo of your dog

More recently the students brought us Facebook
And everybody has a hundred friends
The parties in the photos look amazing
They’re not so great but everyone pretends

You’re no one if you’re not on Twitter…

Now you need to publish every movement
And every single thought to cross your mind
I’m told the Twitterverse is full of rubbish
But most of us are actually quite refined

We validate each other’s insecurities
And brag about the gadgets that we’ve bought
We laugh out loud at every hint of jolliness
And try to self-promote without being caught

You’re no one if you’re not on Twitter…

Peguei a letra da música no site do rapaz que além das músicas (e do layout muito simpático) tem a camiseta que leva nome do hit twitteiro!

You're No One If You're Not On Twitter

You're No One If You're Not On Twitter

Dica do Twitter Brasil.