Sobre Apenas o Fim

5 06 2009

Apenas o Fim

Eles não são um casal convencional. Ela gosta da Nintendo e entende de Mario e Luigi. Ele, da Sony e ama Final Fantasy e Kingdom Hearts. Eles estudam cinema e hoje ele tem prova. O trabalho em dupla deverá ser deixado de lado pois ela tem outros planos. Ela vai deixá-lo.

Apenas o Fim corre o risco de ser taxado pela crítica como filme de um diretor nerd que colocou todas as referências de seus brinquedinhos em seu primeiro longa. Com certeza estão errados. A história do filme é muito mais do que um casal em final de relacionamento envolto em referências da cultura pop. Matheus Souza, 20 anos, diretor de Apenas o Fim, é um baixinho barbudo que sonha grande. Mais do que isso, realiza. Não importa os problemas que surjam.

Filmado utilizando-se da câmera digital da faculdade, que não podia sair daquele perímetro, fez com que o roteiro do filme fosse adaptado para que se passasse todo na PUC-RJ. E isso de maneira alguma empobrece o filme, muito pelo contrário. Fez com que todas as cenas fossem pensadas com muito mais carinho dando-lhes um significado maior, como confessou Matheus na pré-estréia que aconteceu hoje no Espaço Unibanco, em São Paulo. Fez com que cada cenário escolhido participasse como um ator, ou complementasse um diálogo. O que mais me marcou é quando Ela (que não tem nome) em uma parte da faculdade que está em reforma diz que vai mudar o mundo, e ele sentado embaixo de uma árvore pede para que ela não se esqueça das crianças na África. Ela está em construção. Ele já tem raízes profundas.

Gregorio Duvivier e Erika Mader estão excelentes. A naturalidade dos diálogos só pôde ser atingida pela liberdade dada por Matheus nas gravações, permitindo cacos e adaptação de falas, dando-nos diálogos críveis e uma outra visão do cinema nacional, sem cair em piadas prontas de programas de televisão ou da última banda da última semana que está fazendo sucesso naquele canal de TV. É um cinema dirigido não apenas ao público nerd ou ao público jovem (na pré-estréia estavam pelo menos umas 5 pessoas com mais de 50 anos que se divertiram com o filme e participaram do debate pós-filme). Seu convite a refletir sobre o amor o desejo e o que é um relacionamento são o que realmente importam e gritam mais alto.

O longa foi produzido em um mês com o dinheiro de uma rifa de whisky e pouquíssimos patrocínios. Os problemas orçamentários foram superados quando o filme foi apresentado a Mariza Meu Nome Não é Johnny Leão, que gostou da idéia do filme e investiu naquele aprendiz de diretor de cinema, o que rendeu o prêmio de Melhor Filme do Júri Popular, Menção Honrosa do Júri Oficial no Festival do Rio 2008 e o Prêmio de Melhor Filme do Júri Popular na 32ª Mostra de São Paulo. O filme também foi selecionado para ser exibido em festivais internacionais como Off Câmera, em Krakow, Polônia, Festival Internacional de Rotterdam – na Competição Ibero-Americana do Festival Internacional de Miami, Festival de Cinema Brasileiro em Paris, França e na Premiere Brazil, no MoMA, em Nova York.

Lógico o filme não é perfeito. Há diferenças de qualidade de cenas (Matheus explica: “Nós não sabíamos mexer na câmera!“) e um leve egocentrismo, mas nada que diminua a qualidade de seu trabalho. Estou ansioso para ver um novo filme de Matheus. E ele já disse ter duas opções. Seguir como o segundo álbum dos Strokes, ou The Killers. Eu prefiro que siga o caminho The Killers de ser e experimente novas linguagens e experimentações. Se permita continuar errando, pois no final é isso o que importa, nos ensina e faz crescer.

O filme Apenas o Fim tem data de estréia em 12/06 e será exibido em salas digitais, pois foi gravado em HD.

P.S.: Enquanto estava na fila, um Senhor que estava na minha frente me perguntou se eu sabia que a atriz era sobrinha da Mallu Mader. Eu respondi que não. Ele continuou, Esse filme é muito bom, vi que tem uma cena de sexo foda! Pois é meu querido, você ganhou muito mais do que isso. O filme talvez tenha feito você refletir no que é amor e o que é desejo e  que realmente importa no meio disso tudo. Ou não, porque depois desse seu comentário acho difícil você ser capaz de usar seu cérebro. Sim, fiquei irado. Eu tenho o dom de atrair bizarros.